Pedro, você não está entendendo! 22º domingo do ano “A”

Pedro, você não está entendendo! 22º domingo do ano “A”

Nossas redes sociais, na intenção de entusiasmar as pessoas, estão cheias de mensagem que indicam um otimismo que rejeita as dificuldades da vida, como se as pessoas que têm fé não devessem ter problemas. Você já deve ter recebido algo assim: “Deus te conceda um dia abençoado e cheio de vitórias”… como se enfrentar dificuldades, carregar o peso da vida não fosse crescimento para nós. Esse tipo de mensagem sugere um tipo falsificado de cristianismo no qual não se comtempla a vitória do Cristo crucificado, ou prefira chegar ao domingo de páscoa sem passar pela sexta-feira santa.

A liturgia deste domingo nos diz claramente que a fé, quando é assumida, nos leva a enfrentar dificuldades, algum sofrimento e até fracasso justamente por fidelidade a Deus e à sua Palavra. Jeremias lamenta sua dor por conta de se deixar encantar por Deus:- “seduziste-me Senhor!” E toda vez que falo da tua palavra sofro chacota, passo vergonha! São Paulo então nos exorta a não nos resignarmos, não nos desanimarmos, e sim a transformar, mudar o mundo a partir da mudança de nossos pensamentos, desejos, palavras e atitudes. “Não vos conformeis com esse mundo, mas transformais-vos”! Fácil querer que só os outros se mudem…

O caminho de Jesus não é o da facilidade e nem da busca de fama e sucesso. Jesus vem realizar a vontade do Pai e nos convida a seguí-lo em seu caminho de despojamento e entrega. Ensina aos seus que vai a Jerusalém, não para ficar famoso; sabe que lá o esperam rejeição e humilhação. Então os discípulos ficam confusos! Mas ele não é o Messias de Deus? Como agora fala de cruz, de ser rejeitado? E Pedro argumenta seguindo o pensamento dos judeus daquela época que esperavam um Messias glorioso, dono de um exército poderoso, rodeado de honras, riqueza e poder. Pedro não havia entendido que Reino de Deus não é cópia desses governos maléficos e mentirosos de nossos dias; pensava como os interesseiros pensavam, não poderia imaginar um Messias fracassado, crucificado! E o Pedro, pedra fundamental da Igreja, é chamado de “pedra de tropeço”! Pedra de tropeço são todas as pessoas que usam a religião, a bíblia, a Igreja para seus interesses egoístas e mesquinhos.

Jesus manda Pedro se empenhar mais no caminho do discipulado; “vade retro”, vai me seguir, vai lá atrás porque na minha frente você me faz tropeçar.

É um grande absurdo confessar Jesus como Messias e não seguí-lo no caminho da cruz! Não existe cristianismo sem o crucificado; não se encontra com Cristo quem não entrega a sua vida em favor dos irmãos. As pessoas que pensam unicamente em si, quem tudo faz pensando em “se dar bem” e não se torna servidor dos irmãos é como um sepulcro caiado que só tem aparência, nada mais do que isso.

Quem, como Jesus, entrega a sua vida, vive a confiança que o Pai tudo tem em suas mãos e jamais nos abandona.

“Amar, ser verdadeiro, deve custar- deve ser árduo- deve esvaziar-nos do ego” (Santa Teresa de Calcutá).

Pe. João Paulo Ferreira Ielo

Comentários